Segurança Viária

Como é a manutenção em dispositivos de contenção? Entenda!

Escrito por Marcelo Raymundo

Em 2017, 6.244 pessoas morreram em rodovias federais no Brasil, enquanto 83.978 se feriram em acidentes graves. A formulação adequada de projetos de segurança viária pode amenizar as consequências negativas desses acidentes, mas somente isso não é suficiente.

Manter a conservação das rodovias é um importante passo para torná-las mais seguras aos seus usuários. Dessa forma, é necessário ter atenção especial à manutenção em dispositivos de contenção.

Neste artigo, explicaremos quais os cuidados devem ser tomados em relação à manutenção dessas barreiras e o que deve ser feito para que, consequentemente, as rodovias estejam sempre adequadas às normas de segurança viária. Acompanhe!

Manutenção em dispositivos de contenção

Projetadas para redirecionar o veículo, minimizando, assim, o impacto em acidentes automobilísticos e diminuindo os riscos para o motorista e os passageiros, as barreiras de contenção podem ser danificadas em acidentes. Quando isso acontece, a manutenção deve ser ágil para evitar que mais pessoas possam se ferir naquele trecho da rodovia.

Contudo, é importante ainda que haja a manutenção preventiva, para manter as rodovias em bom estado e para que os dispositivos de contenção sejam eficientes em seu objetivo de amenizar a severidade de impacto em acidentes automobilísticos.

Manutenção corretiva

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, em 2017, ocorreram 89.318 acidentes graves em rodovias federais no Brasil. Esses dados evidenciam a necessidade da preocupação com a manutenção corretiva, realizada para reparar os locais da rodovia onde as barreiras de contenção tenham sido atingidas.

Por que existe essa preocupação? O fato de aquele local do dispositivo de contenção ter sido atingido é indicativo de que há alto índice de acidentes naquele trecho da rodovia.

Além disso, caso tenha ocorrido um acidente naquele ponto, o local estará desprotegido e o material danificado pode se tornar agravante para um eventual acidente no mesmo local — um segundo acidente pode ser ainda mais grave que o primeiro. Assim, a agilidade na manutenção é imprescindível.

Para as concessionárias, a demora na manutenção de rodovias pode gerar multas que resultam em grande impacto financeiro para essas empresas. Nos últimos anos, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) aplicou diversas multas a concessionárias em consequência de não conformidades encontradas em rodovias de sua área de atuação.

Manutenção preventiva

A manutenção preventiva é feita com o principal objetivo de reduzir a possibilidade de que o dispositivo de contenção não reconduza o veículo em caso de acidente na rodovia.

A forma mais eficiente de aumentar a durabilidade das barreiras de contenção é por meio da galvanização por imersão a quente, na qual é adicionado zinco sobre a superfície do dispositivo para proteção contra a corrosão. Esse tratamento é normalizado pela NBR 6323.

A fabricação do material seguindo as normas de galvanização é fundamental para prolongar a vida útil do dispositivo de contenção, sobretudo em locais onde a corrosão é mais intensa em consequência das condições climáticas.

A partir da escolha do melhor produto de segurança viária, as concessionárias devem averiguar a instalação correta das barreiras de contenção. Caso contrário, pode haver redução da vida útil dos dispositivos, o que implicará em problemas para a segurança da rodovia.

Qualidade do material e dos fornecedores

Como vimos, o processo de galvanização e a qualidade do material fornecido são fundamentais para aumentar a vida útil dos dispositivos de contenção e, consequentemente, diminuir a necessidade de manutenção nas rodovias.

Portanto, ao definir um fornecedor de defensa metálica, é importante que a qualidade do material seja priorizada tanto quanto o preço. Ao aliar esses dois fatores, será possível otimizar o orçamento do projeto de segurança viária.

Diferentes trechos de uma mesma rodovia podem ser classificados, de acordo com a norma NBR 15486, como de risco normal ou alto, conforme a seguinte definição:

  • risco normal engloba os acidentes gerados com severidade normal, sem consequências adicionais e perigos que possam elevar a severidade e as consequências de um acidente;

  • risco alto quando há existência de perigos que possam elevar a severidade e as consequências de um acidente, com riscos a terceiros dentro da zona livre.

A partir da análise criteriosa de cada trecho da rodovia, é provável que o melhor custo-benefício de um projeto viário seja alcançado com a utilização de diferentes níveis de contenção, pois haverá trechos em que será necessário maiores níveis e outros com riscos normais, em que a defensa metálica N2 proporciona redução de custos para os locais em que for adotada.

Seguindo os passos determinados na norma NBR 15486, é possível fazer a seleção de defensas metálicas de acordo com o nível de contenção.

O respeito às normas de segurança viária é um passo primordial para o aumento da segurança nas rodovias brasileiras. Órgãos públicos desenvolvem ainda campanhas e programas para a redução dos acidentes automobilísticos. Confira, a seguir, algumas iniciativas.

Iniciativas para melhorar a condição de rodovias

Em 2012, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) implementou o programa BR-Legal — Programa de Segurança e Sinalização Rodoviária, abrangendo todos os estados e o Distrito Federal. A iniciativa foi desenvolvida para melhorar a segurança em rodovias federais sob jurisdição do DNIT.

Nos dois primeiros anos de existência do programa, a extensão das rodovias com sinalização classificada como regular, ruim e péssima caiu de 77,1% para 55,9%. Já a extensão classificada como boa e ótima passou de 22,9% para 44,9%.

A Artesp também promove diversas campanhas para a segurança no transporte viário, com o intuito de educar motoristas e demais usuários de rodovias, além de fomentar a manutenção adequada dos trechos por ela administrados.

Além dos dispositivos de contenção, diversos fatores devem ser considerados para aumentar a segurança viária e reduzir significativamente acidentes na rodovia. Capina e roçada, limpeza de objetos, manutenção de sinalização, combate a focos de incêndio, painéis de mensagens variáveis levando informações ao motorista e elementos como passarelas também devem ser analisados para a correta manutenção.

A conservação das rodovias, com atenção a fatores como a manutenção em dispositivos de contenção, exerce ainda importante papel para o desenvolvimento econômico do Brasil. Diante da perspectiva de reaquecimento da indústria, a demanda por maior eficiência na infraestrutura de transporte no país se tornará ainda mais evidente, reforçando a necessidade de que as rodovias brasileiras estejam sempre aptas a atender adequadamente seus usuários.

Quer saber como ampliar a segurança viária no país e contar com o melhor fornecimento de defensas metálicas? Entre em contato com a Marangoni. Teremos prazer em ajudá-lo!

Deixar comentário.

Share This