Segurança Viária

Afinal, qual é a manutenção mínima que uma rodovia deve ter?

Escrito por Marcelo Raymundo

Um dos desafios dos projetos de infraestrutura viária é a aplicação adequada das regras de manutenção em rodovias, que precisam ser realizadas dentro de prazos rígidos e conforme o contrato com a concessionária. O projetista precisa seguir as normas que regulam o setor e propor soluções para melhorar a segurança dos usuários.

A conservação das vias é essencial para a segurança nas estradas. Em 2017, o levantamento da Confederação Nacional do Transporte (CNT) analisou 105 mil quilômetros de rodovias brasileiras, constatando problemas de sinalização em 59,2% delas. Entre as irregularidades, o estudo cita problemas nas placas e nas pinturas das faixas laterais e centrais.

Em 2016, esse índice foi de 51,7%, o que demonstra que os problemas estão se agravando por causa de falhas no trabalho de manutenção. As intervenções têm por objetivo prolongar a vida útil da rodovia e promover a segurança dos seus usuários.

Minimizar os riscos nas estradas é uma responsabilidade das concessionárias, mas isso só é possível com o trabalho de um bom projetista. Quer saber quais os principais cuidados na manutenção em rodovias? Continue a leitura deste artigo!

Fique atento às regras estabelecidas em contrato

Os procedimentos de manutenção em rodovias geralmente são de responsabilidade dos órgãos gestores das vias, sejam elas públicas ou privadas.

O contrato sempre estabelece um Plano de Execução (PE) que deve ser seguido pelo projetista. Cada concessionária tem seu próprio PE, com as orientações para manutenção. Existem também os contratos de concessão de rodovias que estabelecem o Programa de Exploração Rodoviária (PER).

Assim como o Plano de Execução, esse documento estabelece várias regras que devem ser observadas pelos prestadores de serviços, como os critérios mínimos para os procedimentos de manutenção e a periodicidade de realização. O plano pode incluir ações como:

  • manutenção da vegetação lateral da via;

  • cuidados com a sinalização horizontal e vertical;

  • conservação da pavimentação;

  • manutenção das obras de arte especiais (pontes e viadutos).

Além do trabalho do projetista, é importante contratar uma equipe de manutenção capacitada e que tenha conhecimento tanto das normas vigentes quanto das regras definidas contratualmente.

Execute corretamente a manutenção em rodovias

Os trechos de uma rodovia podem sofrer mais ou menos desgaste conforme algumas variáveis — quantidade de veículos em circulação, materiais utilizados na obra, tipo de solo, clima etc. Assim, é fundamental ter atenção às áreas que tendem a demandar manutenção frequente.

Um exemplo disso é a manutenção da vegetação (a chamada capina ou roçada), necessária para evitar que a sinalização ou as áreas de risco fiquem encobertas. Cada concessionária pode estabelecer um prazo para que a limpeza seja executada, mas é importante avaliar o crescimento da vegetação e a necessidade de realizar o procedimento com mais frequência.

Confira a seguir os cuidados mínimos que devem ser adotados para a manutenção de cada um dos elementos da rodovia.

Sinalização horizontal

As faixas de sinalização horizontal contêm microesferas de vidro, que são responsáveis pela retrorrefletividade da luz do veículo. Com o fluxo de veículos na rodovia, as faixas tendem a perder essas microesferas e, consequentemente, a retrorrefletividade, prejudicando a visualização da sinalização pelos condutores.

É importante ressaltar que conforme as pessoas vão envelhecendo, maior é a necessidade de luz retrorrefletiva para a visualização da sinalização.

A manutenção deve ser realizada antes mesmo de quando a retrorrefletância atingir o nível mínimo estipulado em contrato. Se a retrorrefletância estiver abaixo do nível mínimo, a manutenção se torna obrigatória.

Além da pintura, na sinalização horizontal são aplicadas tachinhas (chamadas olhos de gato), que contêm também elementos refletivos. Durante a época de chuvas, a sinalização horizontal É prejudicada pelo filme de água que se forma sobre a pista. Sendo assim, o uso das tachinhas é muito importantes para que, em épocas chuvosas, o motorista tenha melhor visibilidade.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelece que, quando uma sinalização é reaplicada, deve haver total superposição entre a antiga e a nova marca/inscrição viária. Se isso não for possível, a sinalização antiga deverá ser removida. A Resolução 236/2007 do Contran determina todas as regras para sinalização horizontal.

Sinalização vertical

Para manutenção da sinalização vertical, é necessário verificar se há placas suficientes na via para orientar o motorista e se elas têm boa legibilidade. Uma placa não pode se sobrepor a outra ou apresentar excesso de informações, para não confundir o usuário. É importante atentar também para a retrorrefletividade. Há vários tipos de película, com graus de retrorrefletividade diferentes. Cada aplicação requer um tipo distinto de material.

O trabalho de conservação também deve garantir que placas publicitárias, construções ou outros elementos e materiais na pista, mesmo que temporários, não prejudiquem a visibilidade da sinalização. A Resolução 180/2005 do Contran estabelece os parâmetros para conservação e manutenção.

Durante a manutenção da via, é necessário atenção especial às sinalizações permanentes. Elas devem ser cobertas se houver a possibilidade de que essas informações sejam divergentes daquelas usadas temporariamente — como a indicação de obras no trecho.

Pavimentação

A manutenção de pavimento é muito importante para garantir a segurança da rodovia, uma vez que o surgimento de fissuras pode levar à infiltração de água, resultando na formação de buracos e crateras.

Esse tipo de problema na pista prejudica os veículos e pode acarretar em acidentes. Um pneu estourado ou a tentativa de desviar de um buraco em alta velocidade é sempre um risco para o motorista e para os demais veículos que trafegam pelo local.

É importante fazer a correção de fissuras e de problemas de pavimento antes que ocorra a absorção de água. O resultado para a rodovia é muito melhor e o investimento é menor do que quando já existem irregularidades no pavimento.

É importante que a pavimentação seja feita da forma mais regular possível, para que não crie ondulações na pista ou acúmulo de água — o que pode ocasionar aquaplanagem.

Obras de arte especiais

As obras de arte especiais (pontes e viadutos) demandam cuidados específicos de conservação, como a manutenção preventiva de estruturas de concreto. Sem um cuidadoso trabalho, podem surgir fissuras que possibilitam a entrada de água, causando corrosão do ferro utilizado na estrutura de concreto.

Esse risco é menor quando a construção utiliza vergalhões galvanizados, pois o óxido de zinco não é tão volumoso quanto o óxido de ferro, e protege a armadura. Embora o uso de vergalhões galvanizados possa gerar mais custos inicialmente, eles proporcionam maior vida útil à construção.

Além do cuidado com a estrutura, as obras de arte também precisam da mesma manutenção das rodovias, ou seja, sinalização vertical e horizontal, além de iluminação.

Deve haver atenção ainda à junção entre a obra de arte e o pavimento existente da rodovia, para que não sejam gerados degraus na pista.

Siga as regulamentações para o uso de sinalização de obras

Ao executar um procedimento de manutenção na rodovia, é obrigatório respeitar as regras para a sinalização de obras. Afinal, o motorista precisa ser alertado sobre qualquer intervenção na pista, como o bloqueio de uma das faixas ou a necessidade de redução de velocidade.

Mesmo que a ação de manutenção seja de curta duração, a sinalização de obra é imprescindível, já que existem veículos trafegando na estrada e a equipe que está trabalhando na via pode correr algum risco de acidente.

Faça a manutenção dos dispositivos de segurança

Os dispositivos de segurança das rodovias também precisam de manutenção — é o caso dos terminais, das barreiras metálicas e e também das barreiras de concreto. Um dispositivo de segurança abalroado se transforma em um obstáculo para outro usuário.

Qualquer dispositivo de segurança das rodovias requer manutenção. Se houver comprometimento da estrutura, as peças devem ser substituídas para garantir o funcionamento do sistema.

Vale lembrar que, se houve acidente em determinado local, é porque existe probabilidade maior de que ocorram novos acidentes. Assim, a manutenção deve ser feita com prioridade para evitar acidentes que podem ter consequências piores na ausência do dispositivo de segurança.

Quer saber mais sobre projetos de manutenção em rodovias e sobre segurança viária? Então assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos como este diretamente na sua caixa de e-mails!

Deixar comentário.

Share This