Segurança Viária

Acidentologia: tudo que você precisa saber sobre essa profissão!

Escrito por Marcelo Raymundo

Uma das mais novas áreas do mercado é a acidentologia. Podemos dizer que o profissional dessa área é um grande estudioso de eventos adversos: aqueles que ultrapassam a capacidade de controle dos gestores de um projeto e atingem um resultado final indesejado. 

O principal foco deste profissional é identificar os nexos causais e as relações existentes entre o fato ocorrido e o resultado atingido  reconstituindo a dinâmica do evento. Ou seja, é preciso buscar vestígios em uma ordem cronológica, conhecendo os fatores e as circunstâncias que contribuíram para a adversidade. 

Já em ações judiciais, o acidentologista é aquele profissional que reconstitui, diante da ciência, o evento em que as causas se apresentem de forma difusa, dando-lhes significado e facilitando o entendimento para todas as pessoas. 

Ficou interessado pela acidentologia? Então, continue a leitura deste artigo e veja tudo o que você precisa saber sobre essa profissão! Não deixe para depois!

Quem é o acidentologista?

Infelizmente, os acidentologistas não são reconhecidos pela cultura brasileira, o que faz com que esses profissionais sejam autodidatas. Contudo, existem inúmeras dimensões que abrangem a atividade, sendo necessário que os interessados cumpram alguns pré-requisitos. Um bom exemplo pode ser dado por um evento de aviação, que exige formação na área aeronáutica e outros conhecimentos sobre o assunto. 

É válido ressaltar que existem alguns cursos de curta duração, fora do âmbito acadêmico. Esses cursos são compostos por conteúdos abordados de forma superficial. 

Muitas pessoas consideram os peritos como profissionais de acidentologia, mas essa classificação não é capaz de refletir a ciência, nas dimensões e nos horizontes devidos.  Não podemos deixar de mencionar que as atividades envolvem as áreas de engenharia, medicina, saúde pública, direito, climatologia, psicologia e tantas outras. Sendo assim, é desejável que o profissional tenha reconhecimento dos principais Órgão de Classe, como os Conselhos Federais.

 

Quais são as suas funções?

Os acidentologistas devem ser capazes de conseguir explicar a ocorrência de determinado evento de uma maneira simples e fácil de se entender. Sendo assim, deve-se seguir alguns passos, como:

  • identificar as evidências que se relacionam com o evento pesquisado;
  • relacionar essas evidências com os indícios lógicos;
  • estabelecer uma cronologia sobre os fatos;
  • intensificar as circunstâncias que se relacionam com os fatos, buscando a reconstituição do evento;
  • apresentação do trabalho, no formato solicitado (Norma Técnica, Lei, entre outros);
  • defender o trabalho realizado, diante de juízo. 

É preciso deixar claro que um dos principais desafios se dá em relação a cultura brasileira, de não preservar as evidências de um evento. Mesmo previsto em Lei e constituindo crime, não é raro encontrarmos cenas de um crime que foram alteradas, prejudicando o trabalho dos profissionais de acidentologia. 

Outro desafio encontrado por esses profissionais diz respeito aos honorários, mesmo com pessoas da área de Direito. Infelizmente, muitos profissionais ainda sofrem com a falta de pagamento. Além disso, muitos trabalhos necessitam de viagens e não tem tempo determinado para serem finalizados.

Análise de acidentes na aviação

A investigação de acidentes é fundamental para qualquer setor, principalmente para a aviação. É válido dizer que esse procedimento pode ser considerado uma combinação da arte com a ciência, buscando explicar as causas dos problemas ocorridos. 

Houveram, nos últimos tempos, grandes avanços tecnológicos nesse setor, permitindo que os profissionais possam realizar testes de materiais em laboratórios e analisar amostras, por exemplo. Todo o investimento realizado nessa área foi destinado a aumentar a segurança no transporte aéreo. 

No Brasil, o conceito de segurança foi adotado de acordo com as diretrizes da OACI (Organização de Aviação Civil Internacional). Todos os signatários deveram estabelecer um Plano de Segurança Operacional, voltado para o alcance de níveis aceitáveis de segurança nas atividades de aviação civil. 

Existem algumas normas que devem ser seguidas, como o caso da Instrução Normativa n° 91 de novembro de 2015 que trata do Nível Aceitável de Desempenho da Segurança Operacional (NADSO) da aviação civil e a Portaria n° 215 de fevereiro de 2016, responsável por estabelecer indicadores de desempenho de segurança operacional, complementando o NADSO. 

Quais são as especificidades da profissão no mercado brasileiro?

Apesar da acidentologia não ser uma profissão comum no Brasil, existem vários locais em que o profissional pode trabalhar. Órgãos Governamentais, empresas privadas e em questões judiciais, quando nomeado pelo Juiz ou quando escolhido em comum pelas partes. 

Uma área interessante de trabalhar é a gestão de riscos, na qual as seguradoras são as empresas que exigem a maior demanda. O setor de transportes (rodoviário, marítimo, ferroviário e dutoviário) também é uma área onde a presença desse profissional é necessária, mas ainda é pouco utilizada. 

Na engenharia, a presença desses profissionais pode ser empregada em casos complexos, como em prevenção de rompimento de barragens, usinas nucleares, estradas com alto índice de acidentes, entre outros.

Outra especificidade que merece destaque é a Conduta de Tratamento dos Eventos, onde se desenvolvem regras que devem ser seguidas para a mitigação de efeitos indesejados.

Quais são os desafios enfrentados pelo acidentologista no Brasil?

É sabido que o Brasil é um dos líderes mundiais em acidentes, mas nós ainda não os tratamos com a devida importância. Raramente realizamos o estudo científico desses eventos, buscando identificar padrões e maneiras para reduzir a mortalidade e o número de eventos. 

Esse é um dos principais desafios encontrados pelos acidentologistas. É preciso estabelecer essa cultura, desde os primeiros passos. Em outras palavras, desde a preservação da área do evento, permitindo que apenas os profissionais devidamente capacitados possam interferir nas evidências, mesmo na presença de agentes governamentais. 

É válido destacar que temos um grande mercado de trabalho, mas esse setor ainda não é utilizado como deveria ser. O ideal é utilizarmos a acidentologia como uma ferramenta para a busca de nexos causais nos principais eventos. O ganho com a aplicação desse tipo de conhecimento será iminente. 

 

Quais são as vantagens de ser um acidentologista?

A acidentologia é uma área muito exigente e complexa e, por conta disso, existem poucos profissionais atuando nesse mercado. Essa é uma das principais vantagens, principalmente se levarmos em consideração a alta demanda do mercado brasileiro. 

É preciso destacar, ainda, casos de inocentes que são acusados indevidamente. Conseguir participar da construção da verdade e mostrar para todos os envolvidos a realidade da situação é uma sensação extremamente gratificante, fazendo valer a pena ser um profissional do ramo. 

A acidentologia é uma área que ainda está em crescimento, mas desde já se mostra promissora. Investir nesse tipo de conhecimento pode ser uma vantagem considerável, principalmente em relação às expectativas para o futuro de sua carreira. Pense nisso!

E aí, gostou do nosso artigo? Já conhecia a acidentologia? Conseguiu aprender sobre o assunto? Então, que tal ter acesso a outros conteúdos como este? Para isso, assine a nossa newsletter e receba, em primeira mão, todas as nossas atualizações. 

Deixar comentário.

Share This